in ,

Saúde Financeira versus QVT

Culturalmente, falar em dinheiro enfrenta tabus e crenças que criam óbices às discussões críticas que abrem as perspectivas de compreensão.

Saúde Financeira versus QVT

A qualidade de vida no trabalho é diretamente afetada pelo desequilíbrio financeiro pessoal.

Uma pesquisa realizada em 2021 pelo I-SFB (Índice de Saúde Financeira do Brasileiro) apontou que 58,4% dos entrevistados relacionam questões financeiras ao estresse.

No mesmo compasso, a BlackRock, em 2021, identificou em pesquisa que o dinheiro é a principal causa de estresse no Brasil (58%), seguido bem de perto por trabalho (57%) e com a família em terceiro lugar (35%).

Para estudiosos e financista não há surpresa nos resultados supramencionados.

Culturalmente, falar em dinheiro enfrenta tabus e crenças que criam óbices às discussões críticas que abrem as perspectivas de compreensão. Há indicativos de que nem Estado, nem empresas e nem famílias tinham interesse em enfrentar os sérios problemas decorrentes do endividamento, por exemplo. Seja por incapacidade ou interesses escusos, o fato é que a educação financeira foi negligenciada e isso gerou indivíduos doentes, profissionais em crise e Estado instituindo políticas de correções severas.

Trazendo para o âmbito organizacional, as companhias têm acompanhado o aumento de casos de saúde mental abalada. A crise pandêmica do COVID-19 trouxe para “fora do tapete” questões sensíveis que precisam ser debatidas: seja por prejudicarem o indivíduo (aspecto humano), seja por prejudicarem os resultados (aspecto econômico).

A qualidade de vida no trabalho (QVT) diz respeito às condições de vida dentro do ambiente corporativo. Retrata o bem-estar pela perspectiva da integração do profissional com seu lugar de labor e repara como as interações estão repercutindo na felicidade das pessoas. Por se tratar de um conceito amplo e inesgotável, a QVT pode ser mensurada sobre a capacidade de compreensão da cultura organizacional, os relacionamentos interpessoais, a importância que se dá às questões pessoais dos trabalhadores, entre outros.

É válido trazer à leitura, a contribuição de Maslow (1943) ao elaborar, por meio de uma pirâmide, a hierarquia das Necessidades Humanas.

Figura 1. Hierarquia das necessidades humanas de Maslow (G4 Educação)

Esta teoria é representada por uma pirâmide onde na base se encontram as necessidades mais básicas que estão diretamente relacionadas com a sobrevivência. Segundo Maslow, um indivíduo só sente o desejo de satisfazer a necessidade de um próximo estágio se a do nível anterior estiver sanada, portanto, a motivação para realizar estes desejos vem de forma gradual.

Ou seja, é pouco provável que um indivíduo com problemas financeiros, o que pode privá-lo de atender às demandas básicas de bem-estar da família, consiga se engajar na missão organizacional.

Além disso, problemas financeiros causam estresse. O estresse provoca uma descarga de cortisol no organismo, que provoca aumento da pressão arterial e reações inflamatórias, prejudicando a capacidade cognitiva. As dificuldades financeiras promovem a insatisfação pessoal, que gera estresse, desmotivação, doenças mentais, falta de concentração e problemas de relacionamento no trabalho (Costa, 2015).

Diante do exposto, se faz necessária a atenção das companhias para a questão financeira das equipes. Aos líderes, que atuam mais próximos dos integrantes, é pedido uma gestão humanizada a qual permita agir com empatia e atenção à mudança no comportamento das pessoas. Também podem ser incluídas na agenda, ações que geram reflexões sobre dinheiro, seja ressignificando crenças, seja instruindo com conceitos básicos de educação financeira que subsidiam as tomadas de decisões correlatas.

Leia mais artigos da autora…

Bibliografia

  1. Oliveira, Giovani Costa de. Finanças pessoais e qualidade de vida no trabalho dos servidores: um estudo aplicado a uma instituição federal deensino / Giovani Costa de Oliveira. – 2015.
  2. Sinek, Simon. Líderes de servem por último. Rio de Janeiro: Alta Books, 2019. 
  3. https://www.infomoney.com.br/onde-investir/dinheiro-e-a-principal-causa-de-estresse-no-brasil-mas-48-acreditam-ter-boa-saude-financeira/. Acesso em 27/04/2022.
  4. https://rhpravoce.com.br/case/bem-estar-financeiro-melhora-saude-mental-do-colaborador/. Acesso em 27/04/2022.
  5. https://www.dicionariofinanceiro.com/qualidade-de-vida-no-trabalho/. Acesso em 27/04/2022.
  6. https://g4educacao.com/portal/piramide-de-maslow-entenda-as-necessidades-humanas/?gclid=Cj0KCQjw06OTBhC_ARIsAAU1yOVl6p4f7Fv6ZYxu_0jLOd6AMzZ62uN6Fs24V8Gm85glWuv-5hKydvgaAl4lEALw_wcB
  7. https://pt.wikipedia.org/wiki/Hierarquia_de_necessidades_de_Maslow

Written by Nayra Lais

Autora. Administradora, especialista em Gestão de Pessoas, Especialista em Marketing e Especialista em Políticas Públicas. Mestranda em Administração Pública. Servidora Pública Federal.
Educadora e consultora financeira apaixonada por finanças, palestrante, investidora, autora da revista virtual “Economia em Pauta”.
Ministrou palestras e cursos na Procuradoria Federal no Estado da Paraíba (AGU), INSS, Ministério Público da Paraíba, Corpo de Bombeiros Militar do Piauí, Universidade Federal da Paraíba e IFPI. Além disso, presta consultoria financeira a diversos públicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil: vitória contra a Covid, derrota contra a corrupção

ABERTURA DE MERCADO – 28/04/2022